Aprendi e superei.

13 novembro 2012

Eu pude sentir o meu coração morrendo. Pude sentir o meu corpo desprotegido. Eu pude sentir as lágrimas escorrendo pelo meu rosto. Eu pude sentir você fingindo que nós nunca havíamos nos conhecido. Eu pude sentir você dizendo adeus. E pude perceber que a realidade dói mais que outra qualquer coisa. Engraçado, não? Eu já signifiquei um mundo inteiro para você. Eu já fui a única pessoa que te fez sorrir quando você pensou em desistir. Eu fui o motivo pelo qual você continuou aí. Eu já fui o amor da sua vida, não fui? Isso é contraditório, porque você mesmo quem dizia que amor não se jogava fora. E aonde eu estou? Hoje tu nem lembra mais do meu nome. Nem lembra mais dos momentos que passamos enquanto eles me matam por dentro. E agora… agora eu estou me recuperando. Estou fazendo as feridas cicatrizarem. Estou voltando ao que era, fingindo que você não me fez mal. Mas para ser sincera… você acabou comigo. Você acabou com todos os planos que eu tinha de ser feliz do teu lado. Você colocou no lixo todas aquelas promessas de que seria “para sempre”. E quando eu te vejo passar na rua? E quando eu te vejo abraçado com outra? E quando eu te vejo dizendo tudo aquilo que dizia pra mim, para outra pessoa? Não, eu não vou sentir mais nada em relação a você. Eu não vou colocar a culpa em mim, mais uma vez. Queria me fazer mal? Parabéns, você fez. Mas você também me mostrou que o que não me faz feliz, tem que estar morto na minha vida. E ainda está aqui, guardado nas minhas memórias… aquele seu sorriso que me fazia enlouquecer. Não pense que eu estou me apaixonando novamente… estou apenas te deletando das outras lembranças. Não corre atrás de mim, porque vai ser perda de tempo. E não olhe para o seu celular em esperança de receber alguma ligação minha, porque você não vai. Não vai ser do seu jeito agora. Você é um idiota, um idiota estupidamente ridículo. Me diz, valeu à pena jogar o meu coração fora? Valeu à pena ir embora, e me deixar esperando pra ver você voltar? Não, não valeu. E eu tenho total consciência disso. Não pega na minha mão, não me faz sorrir. Dessa vez eu estou te dizendo um adeus definitivo. E só avisando: eu não vou voltar nunca mais. Eu decidi que não vou mais sentir saudade de você, e espero que você não sinta falta de mim. Eu não sinto mais nada. Absolutamente nada. Olha para mim… eu estou forte, e eu não vou chorar por você. Sentiu pena? Quer voltar no tempo? Deita e dorme, seu idiota. Ah, e eu já ia me esquecendo… mas obrigada por ter destruído o meu coração. Eu transformei ele em algo totalmente indestrutível. Enxuguei as minhas lágrimas e disse pra mim mesma que não sinto sua falta. E assim vai ser: sem saudade, sem nostalgia. Somente memórias. Espero que você perceba que perdeu a garota que mais te amou na vida. Até nunca mais, idiota.

1 comentários:

Anônimo disse...

Confesso que suspirei agora... Me passou um filme na memória. Já amei assim, eu nunca mais amei da mesma forma, e não por escolha e sim por competência, é como se eu fosse o cara que o texto acima descreve, mas não sou, porque não consegui esquecer ela e seu nome me persegue, as memórias estão mais vivas e vibrantes que nunca em minha mente, ela pensa exatamente assim, porém mau sabe o quanto ainda a amo e amo mais que antes e sou certo que amo hoje muito menos que amanhã, aquela história de perder pra dar valor é clichê demais pra narrar o que vivemos um dia, foi uma história de amor das boas, a princesa que se apaixona pelo Don Juan conquistador, o cara que passa a ama-la perdidamente, mas que no começo não podia negar sua origem ou mesmo seus instintos, em meio a erros e tropeços que me machucaram, dor nenhuma se compara a dor de saber que ela não vai voltar.

Postar um comentário