Diria que estou gostando de você.

03 junho 2013


Entre essa minha vida confusa e bagunçada; entre os que chegaram e não ficaram, talvez por não terem aguentado esse exagero puro que sou eu; entre os tantos problemas que resolvo sozinha; entre as minhas melancolias que nunca mais tinham me aparecido; entre os gritos do seu nome, quando estou eu, concentrada em um trabalho, na frente da classe inteira explicando sobre o assunto, que particularmente, me deixam nervosa; entre esses "vai e vem"; entre tanta coisa que ultimamente tem se passado pela minha vida, aqui estou eu, acreditando no amor novamente, e eu não diria me apaixonando, apaixonar, amar, e palavras derivadas são complicadas e fortes demais pra mim. Diria que estou gostando de você, e talvez você e muita gente por aí, não acredite, porém, só eu sei o quanto esse sentimento tem florescido dentro de mim. E sabe, nós somos totalmente o contrário, o avesso, poucas são as coisas que coincidem com nós dois, e isso é um tanto quanto esquisito, mas mesmo assim eu gosto. Afinal, que graça teria, conhecer alguém igual á mim? Nada ultimamente tem me feito tão bem quanto você, você e seus costumes mais loucos que os meus, você e seus lamentos por não ter tido como ir ao meu encontro naquela tarde de quarta-feira, você e seus inesperados "eu te amo", que entre nós dois demoraram bastante para ser dito, você que me acalma nos momentos de estresse com um sorriso, aquele sorriso que você não sabe, mas pra mim é o mais lindo de todos, você que entende o poço de exagero e de loucura que sou eu, você e eu, nunca imaginei isso, e acho que você também não. Nossos olhares que fazem parceria com nossos sorrisos que surgem involuntariamente quando nos vemos, já conseguem se encontrar no meio da multidão, que eu prefiro denominar de platéia, que sempre nos assiste. Sou clichê mesmo, e espero que você entenda mais isso, amor. Mas dessa vez quero viver, junto de ti.

Morrer...

28 maio 2013

"Morrer é ridículo. Você combinou de jantar com a namorada, está em pleno tratamento dentário, tem planos pra semana que vem, precisa autenticar um documento em cartório, colocar gasolina no carro e no meio da tarde morre. Como assim? E os e-mails que você ainda não abriu, o livro que ficou pela metade, o telefonema que você prometeu dar à tardinha para um cliente? Não sei de onde tiraram esta ideia: morrer. A troco? Você passou mais de dez anos da sua vida dentro de um colégio estudando fórmulas químicas que não serviriam pra nada, mas se manteve lá, fez as provas, foi em frente. Praticou muita educação física, quase perdeu o fôlego, mas não desistiu. Passou madrugadas sem dormir para estudar pro vestibular mesmo sem ter certeza do que gostaria de fazer da vida, cheio de dúvidas quanto à profissão escolhida, mas era hora de decidir, então decidiu, e mais uma vez foi em frente. De uma hora pra outra, tudo isso termina numa colisão na freeway, numa artéria entupida, num disparo feito por um delinquente que gostou do seu tênis. Qual é? Morrer é um chiste. Obriga você a sair no melhor da festa sem se despedir de ninguém, sem ter dançado com a garota mais linda, sem ter tido tempo de ouvir outra vez sua música preferida. Você deixou em casa suas camisas penduradas nos cabides, sua toalha úmida no varal, e penduradas também algumas contas. Os outros vão ser obrigados a arrumar suas tralhas, a mexer nas suas gavetas, a apagar as pistas que você deixou durante uma vida inteira. Logo você, que sempre dizia: das minhas coisas cuido eu. Que pegadinha macabra: você sai sem tomar café e talvez não almoce, caminha por uma rua e talvez não chegue na próxima esquina, começa a falar e talvez não conclua o que pretende dizer. Não faz exames médicos, fuma dois maços por dia, bebe de tudo, curte costelas gordas e mulheres magras e morre num sábado de manhã. Se faz check-up regulares e não tem vícios, morre do mesmo jeito. Isso é para ser levado a sério? Tendo mais de cem anos de idade, vá lá, o sono eterno pode ser bem-vindo. Já não há mesmo muito a fazer, o corpo não companha a mente, e a mente também já rateia, sem falar que há quase nada guardado nas gavetas. Ok, hora de descansar em paz. Mas antes de viver tudo, antes de viver até a rapa? Não se faz. Morrer cedo é uma transgressão, desfaz a ordem natural das coisas. Morrer é um exagero. E, como se sabe, o exagero é a matéria-prima das piadas. Só que esta não tem graça."

Martha Medeiros. 

Cheiros...

28 março 2013

Oi gente! Sem rodeios, hoje trouxe um texto pra vocês sobre cheiros, porque além de me encantar, somos capazes de sentir milhões de cheiros por minuto. Espero que gostem, beijos.
"Eu sou uma eterna apaixonada por cheiros. Cheiros de todos os tipos, todos os aromas, todas as formas de sentir: cheiro de bebê, cheiro de chuva, cheiro de terra molhada, cheiro de pão saindo do forno. Tantos cheiros vindos de tantos lugares e de tantas situações. Gosto, sobretudo, do cheiro da pessoa que amo. E também gosto do cheiro de chocolate quente, cheiro de café, cheiro de hidratante corporal, cheiro de lavanda, cheiro de chiclete de morango e cheiro de livro novo. Eu acho que o cheiro vai muito mais além da aparência. Já me apaixonei por um cheiro e também já dormi sentindo um cheiro, assim como já decorei outros cheiros memoráveis. Nada melhor do que encostar a cabeça no ombro de alguém e sentir o cheiro - não o perfume, o cheiro mesmo - que ela tem. E, melhor ainda, ficar com o cheiro impregnado na sua roupa, no seu cabelo, na sua pele, no seu coração. Cheiros conseguem ser mais profundos e misteriosos do que abraços e beijos, afinal, estes nos atingem fisicamente, mas o cheiro alcança o que nenhum outro consegue: o cheiro atinge a alma." - Capitule, Cheiros. 




Decorar quarto com jornal.

08 janeiro 2013

Oi gente! Tudo bem?
Bom, aqui vai uma dica de decoração, eu fiz no meu guarda-roupa e eu aprovei o resultado. Espero que gostem.
Hoje em dia praticamente tudo pode ser reciclado e reaproveitado. Até mesmo o jornal velho que você tem guardado pode ser utilizado em coisas muito mais interessantes que somente limpar vidros. Por este motivo resolvemos fazer este artigo, no qual vamos dar as principais de como decorar quarto com jornal. Usando da criatividade, é relativamente fácil fazer uma decoração para quarto utilizando jornal. Você pode utilizar o jornal como por exemplo papel de parede, ou como um item de modernidade.
Uma das principais vantagens de utilizar e decorar um quarto com o jornal é a facilidade de implementação. É relativamente fácil e prático aplicar o jornal na parede. Abaixo vamos dar o passo a passo de como decorar o quarto com jornal.
Itens necessários:
*Jornal que seja o suficiente para o tamanho da parede ou ambiente que você pretende decorar.
*Cola branca de boa qualidade diluída em água  na medida de duas medidas de cola para uma medida de água em temperatura ambiente.
*Um rolo grande para passar toda a cola na parede.
*Uma escova de cerdas bem macias que possa analisar o jornal de forma eficiente.
*Uma espátula para cortar todos os restos de jornal.
Como fazer a decoração com jornal:
A primeira coisa a fazer antes de fazer a decoração com jornal é limpar e lixar muito bem a parede. Você pode por exemplo usar uma medida de água da torneira e uma pequena quantidade de água sanitária. Isso vai facilitar muito o trabalho de limpeza da parede.
Como fazer a cola caseira:
Esta é uma tarefa bem simples. Coloque cerca de 750 ml de água para ferver. Em uma outra panela, misture 250ml de água com cerca de 7 colheres de trigo. Mexa então sem parar, afim de evitar que o trigo empelote. Quando a água estiver fervendo, misture todo o trigo dissolvido na água e mexa sem parar por mais 5 minutos. Adicione então duas colheres de vinagre e mexa por mais dois minutos. Depois disso é só colocar a cola em um ambiente mais adequado e começar a utilizar.
Passe o rolo com a cola diluída na parede. Repita o processo em pequenas etapas. Após isso aplique o jornal na parede de forma cuidadosa, fazendo pressão do centro para fora do jornal. Depois é só dar outra alisada com a escova para retirar as bolhas e aguardar a cola secar.
Para tirar os excessos, apenas use a espátula.

Aprendi e superei.

13 novembro 2012

Eu pude sentir o meu coração morrendo. Pude sentir o meu corpo desprotegido. Eu pude sentir as lágrimas escorrendo pelo meu rosto. Eu pude sentir você fingindo que nós nunca havíamos nos conhecido. Eu pude sentir você dizendo adeus. E pude perceber que a realidade dói mais que outra qualquer coisa. Engraçado, não? Eu já signifiquei um mundo inteiro para você. Eu já fui a única pessoa que te fez sorrir quando você pensou em desistir. Eu fui o motivo pelo qual você continuou aí. Eu já fui o amor da sua vida, não fui? Isso é contraditório, porque você mesmo quem dizia que amor não se jogava fora. E aonde eu estou? Hoje tu nem lembra mais do meu nome. Nem lembra mais dos momentos que passamos enquanto eles me matam por dentro. E agora… agora eu estou me recuperando. Estou fazendo as feridas cicatrizarem. Estou voltando ao que era, fingindo que você não me fez mal. Mas para ser sincera… você acabou comigo. Você acabou com todos os planos que eu tinha de ser feliz do teu lado. Você colocou no lixo todas aquelas promessas de que seria “para sempre”. E quando eu te vejo passar na rua? E quando eu te vejo abraçado com outra? E quando eu te vejo dizendo tudo aquilo que dizia pra mim, para outra pessoa? Não, eu não vou sentir mais nada em relação a você. Eu não vou colocar a culpa em mim, mais uma vez. Queria me fazer mal? Parabéns, você fez. Mas você também me mostrou que o que não me faz feliz, tem que estar morto na minha vida. E ainda está aqui, guardado nas minhas memórias… aquele seu sorriso que me fazia enlouquecer. Não pense que eu estou me apaixonando novamente… estou apenas te deletando das outras lembranças. Não corre atrás de mim, porque vai ser perda de tempo. E não olhe para o seu celular em esperança de receber alguma ligação minha, porque você não vai. Não vai ser do seu jeito agora. Você é um idiota, um idiota estupidamente ridículo. Me diz, valeu à pena jogar o meu coração fora? Valeu à pena ir embora, e me deixar esperando pra ver você voltar? Não, não valeu. E eu tenho total consciência disso. Não pega na minha mão, não me faz sorrir. Dessa vez eu estou te dizendo um adeus definitivo. E só avisando: eu não vou voltar nunca mais. Eu decidi que não vou mais sentir saudade de você, e espero que você não sinta falta de mim. Eu não sinto mais nada. Absolutamente nada. Olha para mim… eu estou forte, e eu não vou chorar por você. Sentiu pena? Quer voltar no tempo? Deita e dorme, seu idiota. Ah, e eu já ia me esquecendo… mas obrigada por ter destruído o meu coração. Eu transformei ele em algo totalmente indestrutível. Enxuguei as minhas lágrimas e disse pra mim mesma que não sinto sua falta. E assim vai ser: sem saudade, sem nostalgia. Somente memórias. Espero que você perceba que perdeu a garota que mais te amou na vida. Até nunca mais, idiota.